A prova

“Não declares que as estrelas estão mortas só porque o céu está nublado.”(Prov. Árabe)

 

A
o realizar os nossos projetos, além da beleza sobre o que queremos alcançar, também se abre o caminho à dificuldade e à dúvida. Mas eles não são o conteúdo do que queremos. Penetram por osmose no projeto, confundem e fazem com que seja um pouco menos idealizado e mais concreto.

Os projetos nos empurram para a frente e nos iluminam. São o nosso futuro, tanto profissional quanto vocacional.

Um povo

Havia todo um povo envolvido num grande projeto de libertação: o povo de Israel. Ele contou com um líder carismático, Moisés, ao qual Deus tinha revelado o caminho e o projeto para este povo: “Vocês são meu povo, eu sou o seu Deus, eu vou caminhar sempre com vocês”. As pessoas eram envolvidas e tinham aceitado o desafio. Mas houve dificuldades ao longo do caminho: arrependimentos, nostalgias, cansaços devido às provas que encontraram.

Em nossos relacionamentos humanos experimentamos esses traços de escuridão e desânimo, de desconfiança. E também no progresso da nossa fé, somos “bloqueados” por tentações e falhas, com fortes dúvidas e até receios, a tal ponto que chega um desejo instintivo de abandonar,e até esquecer as experiências bonitas e positivas que vivemos nas famílias, nas comunidades.

O que é a prova?

É uma situação em que somos colocados em crise: quebra-se o equilíbrio emocional, religioso, social, em que buscamos crescer, apreciar, construir o nosso futuro. A prova pode ser uma doença, a aridez interior, a escuridão da fé, a perda de fervor e de segurança, a não realização dos objetivos propostos, o sofrimento psicológico e relacional. Mas a prova, em si, oferece uma oportunidade para agir com firmeza, com constância, provocando a nossa generosidade, a paciência, a fé. Às vezes, as provas são como as folhas de outono que caem das árvores: elas mostram que há ramos e que são eles que sustentam e mantem as flores e os frutos. Se a crise, em seguida, abala os fundamentos da nossa fé e da nossa esperança no Senhor Jesus, a amargura se profunda e a reação de se fechar é quase imediata. É o tempo de vácuo, do nada, da inutilidade total, do silêncio. A única esperança é colocada em Deus, mas, mesmo aqui, há fadiga e perda de horizonte, de sentido. Há provas nos afetos, nos projetos. Há também provas que nascem ou produzem tribulações, decepções, traições, abandono, doença, morte. Jesus também experimentou em sua vida : “Na verdade,  por ter ele mesmo suportado tribulações, está em condição de vir em auxílio dos que são atribulados ” (Hb 2,18).

Reflexão:

É verdade que a prova chega para nos manter acordados e a não pensar só em nós mesmos? você já experimentou isso?

Foi facil sair de uma crise? De que forma a sua fé te ajudou?

Publicado no Jornal Missão Jovem de Novembro de 2017

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP