Amazônia: a CNBB lança a campanha que convida a Igreja e a sociedade a “Amazonizarem-se”

No dia 27 de julho foi lançada a campanha “Amazoniza-te”, organizada pela Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com outras organizações eclesiais e da sociedade civil

por redação Mundo e Missão


A ação faz parte das mobilizações pós Sínodo para a Amazônia realizado no Vaticano, em outubro de 2019. A campanha vai envolver os diferentes organismos eclesiais, artistas, formadores de opinião, pesquisadores e cientistas internacionais e do Brasil nas ações. A campanha é culminância das diferentes ações e mobilizações realizadas pelas organizações eclesiais e sociais que atuam na Amazônia ou na defesa dela, como o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Mídia Ninja e Movimento Humanos Direitos (MHuD).

A iniciativa surge atenta ao contexto onde as violências contra os povos tradicionais são agravadas pela pandemia da Covid-19, como disse a irmã Maria Irene Lopes, secretária executiva da Repam-Brasil, ao explicar a campanha e seus objetivos: “Enfrenta-se uma conjuntura onde o desmatamento e a grilagem, as queimadas, a mineração e garimpo se intensificam, tornando-se agentes de proliferação do coronavírus nas comunidades da região amazônica”.

No lançamento da campanha, o arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispo do Brasil, dom Walmor Oliveira de Azevedo, falou que a Amazônia é muito importante por seus povos, sua história, pela fé cristã que nela foi plantada. O presidente da CNBB disse que a campanha convida a todos a colocar na cabeça e no coração um novo verbo: “Amazonizar”. A campanha, segundo dom Walmor, tem um apelo para considerarmos a alteridade. “O sentido de alteridade me permite que em não sendo da Amazônia e não estando na Amazônia eu possa Amazonizar-me”, disse. Uma comunidade e uma sociedade, segundo dom Walmor, só se constroem na medida em que são considerados a participação de cada um e de todos. Amazonizar-se, segundo o dom Walmor, é um convite ao diálogo e a não passar por cima da comunhão. “‘Amazoniza-te’ se torna uma escola para nós aprendermos a respeitar os povos e as culturas diferentes, a preservar o meio ambiente. Que todo mundo entre e matricule-se nesta escola como um caminho de aprendizagem da humildade e de compromisso com os que precisam mais”, disse.

Durante o lançamento foi divulgado o hotsite da campanha, amazoniza-te.org, onde é possível encontrar os materiais de apoio, manifestos políticos das organizações e um compilado de estudos sobre a realidade da Amazônia para fundamentar ações e posicionamentos. Uma das publicações é a carta “Nota dos Bispos da Amazônia Brasileira sobre a situação dos povos e da floresta em tempos de pandemia”, assinada pelos 67 bispos católicos que atuam na região. Na carta, os bispos da Amazônia brasileira convocam a Igreja e toda a Sociedade para exigir medidas urgentes do Governo Federal, do Congresso Nacional, dos Governos Estaduais e das Assembleias Legislativas para o bioma. A campanha traz ainda uma série de vídeos com depoimentos das populações tradicionais da Amazônia que dialogam com o alerta assumido também por artistas de expressão nacional e internacional. O grupo de organizações proporá uma lista de ações concretas a serem assumidas de forma pessoal ou coletiva na perspectiva de “Amazonizar-se”.

fonte: CNBB.org.br


Inscreva-se e receba a newsletter

seu apoio vale muito, assine a revista Mundo e Missão

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Gregório Serrão 177
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP