Coreia do Norte: a Diocese de Pyongyang é consagrada a Nossa Senhora de Fátima

No dia 15 de agosto o cardeal Andrea Soo-jung Yeom, arcebispo de Seul, consagrou a Diocese de Pyongyang (Coreia do Norte) a Nossa Senhora de Fátima

tradução por André Guerra


Durante uma cerimônia solene na Catedral de Myeong-dong, o cardeal Andrea Soo-jung Yeom, arcebispo de Seul, consagrou a Diocese de Pyongyang (Coreia do Norte) a Nossa Senhora de Fátima. O cardeal Yeom é o Administrador Apostólico de Pyongyang, já que não há bispos ou padres no norte, eliminados na época de Kim Il-sung.

A cerimônia, na solenidade da Assunção de Maria, no dia 15 de agosto, incluiu missa, a coroação da estátua da Virgem e a leitura de uma mensagem do Papa Francisco. A catedral estava lotada de fiéis, leigos e religiosos em sua capacidade máxima, embora limitada devido ao cumprimento das normas sanitárias impostas pela Covid-19. Antes de entrar na catedral, todos os participantes tiveram que passar pelo controle da temperatura, usar máscaras, sentar a um metro de distância.

A data do evento é muito significativa para o povo coreano: 15 de agosto é o dia da Libertação da Coreia, o aniversário do fim do domínio colonial japonês e da Segunda Guerra Mundial. Este ano é o 75º aniversário da Libertação e o 70º aniversário do início da guerra fratricida da Coréia.

Na homilia, o cardeal lembrou quanto a vida da Igreja e a própria Coreia sofreram perseguições desde o início. Ele ressaltou a importância de uma verdadeira conversão para a libertação evangélica de todo o povo coreano.

Após a homilia, coroou a estátua de Nossa Senhora de Fátima, depois levantou a oração de consagração, pedindo à Virgem a sua intercessão pela paz na Península da Coreia e pela liberdade religiosa dos fiéis em Pyongyang e em toda a Coreia do Norte.

Para a ocasião, o Papa Francisco enviou uma mensagem, acompanhada pela bênção apostólica. A mensagem sublinha a urgência de “uma nova forma de pensar que supere a divisão e estabeleça relações justas e fraternas” e reúna os católicos coreanos “na oração pela conversão dos corações e pelo triunfo de uma cultura. de vida, reconciliação, amor fraterno e paz duradoura na península coreana”.

“Em nosso mundo cada vez menor – continua Francisco – somos desafiados não apenas a respeitar uns aos outros, mas também a nos sentirmos responsáveis ​​uns pelos outros, construindo pontes e promovendo o desenvolvimento humano sustentável, baseado no respeito pelos valores humanos autênticos e pela dignidade inviolável de todos”.

Fonte: AsiaNews


Inscreva-se e receba a newsletter

seu apoio vale muito, assine a revista Mundo e Missão

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Gregório Serrão 177
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP