Ética e economia

Atitudes e escolhas de responsabilidade, de coerência e de prudência
ficam naturalmente iluminadas quando são orientadas pela ética

Foto: freepik.com

Por padre Gabriel Guarnieri, sx

Missionário Xaveriano


Durante uma semana de espiritualidade no projeto da Formação Permanente, um grande amigo e missionário relatou alguns fatos significativos vividos por ele e que, na sua opinião, poderiam muito bem explicar o conceito e o significado dos princípios éticos aplicados na economia.

A SABEDORIA DA AVÓ

Ele começou com sua própria experiência. “Um belo dia – disse ele –, minha avó materna me chamou e disse: ‘Meu querido netinho, olha só. Este ano você vai completar oito anos e, para comemorar o seu aniversário, fui ao banco e abri uma poupança em meu nome (e no seu também): desde já você vai aprender a não gastar aquilo que não tem, e pode criar o hábito de poupar um dinheirinho que vai aumentando mês a mês, se você escolher o caminho da responsabilidade e de renúncias. Daqui a uns anos você pode adquirir coisas grandes’”. Emocionado ao relembrar o episódio, o meu amigo comentou que aquela foi a melhor lição de ética que recebeu. Ela formou o seu caráter e até seus comportamentos.

PARTILHA, GENEROSIDADE, COMPAIXÃO

Outro elemento que meu amigo acrescentou ao tema, foi a experiência de um sacerdote congolês, missionário na Itália durante muitos anos. Após um terremoto no centro da Itália, o missionário aproveitou suas férias de modo diferente: voltou ao Congo, com a promessa de logo retornar. E assim fez, mas não para visitar parentes e amigos. Ao contrário, rezava Missa nas comunidades e nas paróquias da região perto da capital, solicitando aos irmãos africanos uma “vaquinha” em prol das vítimas do terremoto na Itália. E o povo acatou a proposta. Colaborou. Sentiu compaixão e mostrou- se generoso. De volta das férias, já no centro da Itália, o missionário distribuía às paróquias feridas e destruídas a oferta das paróquias congolesas que havia visitado. O meu amigo não revelou a quantia arrecadada e distribuída. E nem precisava. Mas era necessário ressaltar a capacidade de amar e de criar pontes de solidariedade com as pessoas que sofrem.

A ÉTICA SE FAZ VIDA E HISTÓRIA

Uma regra simples da ética na economia reza assim: se tivermos algo, é para doá-lo, pois, afinal, só possuímos aquilo que oferecemos. Numa humanidade definida como uma grande aldeia global, o bem faz a diferença, a partilha se faz esperança. Traduzindo as palavras do Papa Francisco, a comunhão, a justiça, a solidariedade e a fraternidade que Cristo viveu e ensinou, vão construindo aquela ‘economia de justiça’ que o Espírito do Amor de Deus Pai faz acontecer, e que o Evangelho do Reino nos pede.

texto publicado na secção “Ética” na edição Marco da revista Mundo e Missão. Gostou da matéria? Seja um nosso assinante


Inscreva-se e receba a newsletter

seu apoio vale muito, assine a revista Mundo e Missão

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Gregório Serrão 177
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP