Itália: Padre morre após ceder o respirador para um paciente mais jovem

Padre Giuseppe, 72 anos. cedeu pela própria vontade o seu respirador para destiná-lo a alguém mais novo que também está infectado pelo coronavírus.

por Redação Mundo e Missão

Padre Giuseppe foi arcipreste de Casnigo por quase catorze anos e teria concluído sua missão em Casnigo, mas ele a terminou mais cedo morrendo em um hospital em Lovere em Bergamo atingido pelo coronavírus. Já no ano passado ele teve problemas de saúde. Bergamo é uma das provincias na Itália mais atingidas pela pandemia.

Padre Giuseppe Berardelli – a quem a comunidade paroquial comprou um respirador – o renunciou pela sua própria vontade para destiná-lo a alguém mais novo que ele disse um profissional de saúde da casa de repouso San Giuseppe di Casnigo. Padre Giuseppe havia renunciado do respirador, mesmo que precisasse, e essa talvez seja a melhor fotografia da alma de um padre que nos anos passados ​​em Val Seriana conquistou a todos.

“Ele era um padre que ouvia todo mundo, sabia ouvir, qualquer pessoa que precisasse dele, ela sabia que podia contar com sua ajuda.” disse Clara Poli, prefeito de Fiorano, durante anos, onde padre Giuseppe foi pároco por muito tempo.

O arcipreste de Casnigo, padre Giuseppe Berardelli tinha 72 anos. Nascido em 21 de agosto de 1947, ele era originalmente de Fonteno. Ordenado sacerdote em 30 de junho de 1973, sua primeira designação foi coadjutor na paróquia de San Giuseppe, na cidade alta (Bergamo), depois em Calolzio, de 1976 a 1984. Mais tarde, tornou-se pároco da paróquia de Gaverina e, em 1993, pároco de Fiorano al Serio, em 2006, foi nomeado arcipreste de Casnigo. Ele teve problemas de saúde, mas lutou com seu sorriso habitual e essa determinação com aqueles que confiam em Deus. Ele morreu no hospital Lovere, em Bergamo na Itália.

Visto a situação de máxima quarenta na Itália, o padre Berardelli não teve nenhuma cerimônia fúnebre, mas os paroquianos de Casnigo, cumprimentou-o à sua maneira; ao meio-dia da segunda-feira, 16 de março, eles ficaram pela varanda de casa e o saudaram com aplausos.

Fonte: arebarara.it

Inscreva-se e receba a newsletter

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Gregório Serrão 177
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP