O caminho vocacional de um indiano que queria aprender inglês

Kalakoti Mahesh

Conheça a trajetória de Kalakoti Mahesh, que ingressou no seminário apenas para aprender outro idioma e acabou se encantando pelos testemunhos missionário que conheceu

 

S
ou Kalakoti Mahesh, tenho 26 anos e sou indiano. Meus pais são Venkataiah e Sakkamma e tenho três irmãos. Meu pai é pedreiro e minha mãe, cozinheira em uma comunidade de irmãs, próxima de nossa casa. Dois irmãos são casados e um é sacerdote salesiano.

Aos 15 anos, decidi ingressar no seminário só para aprender inglês. Na Índia, cada estado tem sua própria língua e os garotos que querem ser padres vêm do país todo. Cada um com sua língua, mas, no seminário, o idioma comum é o inglês. Ao comentar com meu irmão que queria aprender o inglês no seminário, ele me sugeriu o do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), que eu ainda não conhecia. Assim, ingressei no seminário de Eluru, no estado indiano de Andhra Pradesh. Eu não pretendia ser padre.

No início, foi difícil ficar longe de casa, da qual até então eu nunca me afastara. No fim do primeiro ano me senti melhor e resolvi continuar por mais algum tempo.

Passaram-se três anos, tempo em que aprendi melhor o inglês e pude conhecer alguns padres do PIME. Eles apareciam no seminário para nos relatar suas experiências missionárias e aqueles testemunhos despertaram em mim o desejo de me tornar um missionário como eles. Então decidi permanecer por lá.

Depois do Ensino Médio fui para o seminário do PIME em Trichy para frequentar a universidade. Todos os dias, ia de ônibus para a escola. Fiz amizade com muitas pessoas. A vida dos companheiros de universidade alterou os meus planos. O mundo me atraiu de tal forma que a minha vida espiritual se enfraqueceu. Contrariando as regras do seminário, comprei um celular, o grande objeto dos desejo dos jovens. Usava-o secretamente. Um dia o reitor descobriu e me deu uma severa repreensão. Senti-me chateado de tal forma que, três dias depois, decidi deixar o seminário. Abri o jogo com o reitor e ele me encorajou a pensar melhor. Segui o conselho dele.

Para estudar Filosofia, fui enviado à cidade indiana de Pune. Terminado aquele curso, fiz uma experiência de um ano com crianças órfãs em Vijayawada. Entre outros aprendizados, completei um ano de espiritualidade. Foi o período no qual entendi melhor a minha vocação e senti maior firmeza da fé em Deus.

Kalakoti Mahesh

Em 2016 enviaram-me a estudar Teologia na Itália. Foi difícil adaptar-me à comida e à língua italiana, que também precisei aprender. Toda semana eu fazia meu apostolado em uma casa de animação vocacional do PIME. No início, sentia-me isolado, mesmo rodeado de jovens, pois não conseguia me expressar em italiano. Depois de dois meses, comecei a me comunicar melhor e os jovens passaram a mostrar interesse por mim e pelo meu país.

Hoje as coisas mudaram e estou cada vez mais feliz com a minha opção vocacional. Reze por mim e pela perseverança no meu trajeto missionário.

Testemunho publicado na revista Mundo e Missão de setembro de 2018 – edição nº 225
Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP