O poder das palavras

PAKISTAN_-_0115_-_Scrittrice_4No Paquistão, onde a maioria das meninas mal tem acesso à educação, uma jovem acaba de se tornar a mais nova escritora cristã

A
paquistanesa Anee Muskan é uma das mais jovens escritoras cristãs num país que é predominantemente muçulmano. Ela nasceu em um vilarejo da província de Punjab. Em 2002 sua família se mudou para a cidade de Lahore. Anee escreve desde os 12 anos e, segundo ela, tem uma “insaciável sede de livros”. A menina já leu mais de 200 romances e se diz orgulhosa por ser cristã. O seu primeiro livro, intitulado “By the Moors”, é uma coletânea de contos e poesias. Na entrevista abaixo, concedida à AsiaNews, ela conta um pouco sobre sua trajetória.

Quando você começou a escrever o livro e por quê ele se chama “By the Moors”?
Tinha 14 anos e o nome foi tirado de uma de minhas poesias. Significa “das terras áridas e estéreis”. Cheguei a este título “sobrevoando” lugares diferentes. As terras áridas não são um grande problema, mas, na adolescência, cada pequeno peso sobre os ombros pode se transformar em um fardo insuportável. E é com esse fardo que se acorda toda manhã. O livro aborda aspectos que dizem respeito à infância e meu pai me incentivou muito a escrevê-lo.

Como você define sua paixão pela leitura?
Tenho uma sede insaciável por livros e nos últimos anos me tornei uma “viciada em leitura”. Acredito que a diferença entre uma pessoa que lê e um viciado em livros seja a mesma entre uma pessoa que bebe socialmente e uma alcoolizada. Uma simplesmente bebe, a outra tem necessidade de beber todos os dias.

Já pensou em escrever outro livro?
Sim, já anotei muitas ideias para o segundo livro. A única coisa a ser feita é organizar o trabalho e expressá-lo da maneira correta.

Anee Muskan

Anee Muskan é uma das mais jovens escritoras cristãs do Paquistão

Qual aspecto do livro lhe agrada mais?
Gostava de criaturas monstruosas. Agora, gosto da última poesia que escrevi e incluí no livro. Ela se chama: “Quero ser o teu Davi”. É a coisa mais preciosa que já escrevi. Levei muito tempo organizando as ideias e as coisas que sabia sobre o Rei Davi.

Que papel teve sua família durante a elaboração?
Devo tudo a Deus e à minha família, que é realmente uma das razões pela qual sou capaz de escrever. Minha irmã foi a musa de várias poesias. Meus pais são as pessoas de onde provêm meu talento. Meu irmão tinha o hábito de escrever poesias e eu o invejava tanto que comecei a compor poemas, mas ainda não estou no nível dele.

Que conselho gostaria de dar a outros escritores?
É triste admitir que jovens escritores como eu não tenham muitas oportunidades para progredir e desenvolver o seu lado criativo. Não há incentivos a escritores. Mas, ao mesmo tempo, gostaria de encorajar todos os jovens autores a continuarem a escrever, porque não se sabe o que nos reserva o futuro. Uma pequena frase de hoje poderá ajudar no amanhã. Organizar as ideias é a coisa mais difícil a ser feita. Isso só é possível com a prática constante da escrita. Da mesma maneira que os exercícios físicos ajudam a fortalecer os músculos, a leitura e a escrita ajudam a escrever melhor.

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail está seguro conosco. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP