Papa convoca jovens a não perder a esperança

Promover a paz em meio às pessoas e não ouvir a voz de quem espalha ódio e divisão: um pedido de Francisco à juventude

O
papa Francisco teve uma “conversa imaginária” com um jovem aberto ao aprendizado. Retomando o tema da esperança, o pontífice referiu-se à “educação à esperança” por meio de uma série de exortações.

A primeira admoestação é: “Não se renda às trevas”. O primeiro inimigo a ser combatido não está fora de você, mas dentro. Portanto, não dê espaço a pensamentos negativos; não é inútil a luta que você combate aqui. Ao final da existência não nos espera o naufrágio: em nós palpita algo de absoluto.

“Deus não desilude. Tudo nasce para florescer numa eterna primavera”, disse o papa Francisco, que citou o diálogo entre o carvalho e a amendoeira. Segundo ele, o carvalho pediu à amendoeira que falasse de Deus, e ela floresceu.

E o papa exortou: “Onde quer que você esteja, construa! Se estiver no chão, levante-se! Se estiver sentado, coloque-se a caminho! Se o tédio o paralisa, realize obras de bem! Se estiver desmoralizado, peça que o Espírito Santo possa preencher o seu vazio”.

O pontífice prosseguiu, convidando o jovem a promover a paz em meio às pessoas e a não ouvir a voz de quem espalha ódio e divisão. Por mais diferentes que sejam, as pessoas foram criadas para viverem juntas:

“Ame os seres humanos. Cada criança que nasce é a promessa de uma vida que, mais uma vez, se demonstra mais forte do que a morte”. E prosseguiu: “Jesus nos entregou uma luz que brilha nas trevas: proteja-a. Esta única chama é a maior riqueza confiada à sua vida”.

Outra exortação dirigida ao jovem é sonhar: “Sonhe, não tenha medo de sonhar. Sonhe um mundo que ainda não se vê, mas que certamente chegará”. As pessoas que cultivaram esperanças são também as que venceram a escravidão e promoveram melhores condições de vida sobre a terra.

“Seja responsável por este mundo e pela vida de cada homem”, aconselhou ainda o papa. “Toda injustiça contra um pobre é uma ferida aberta. A vida não acaba com a sua existência, pois neste mundo virão outras gerações”.

Outro convite foi o de pedir a Deus o dom da coragem: “O nosso inimigo mais insidioso nada pode contra a fé. Se um dia o medo o ameaçar, pense simplesmente que Jesus vive em você. Tenha sempre a coragem da verdade, lembrando-se, porém, que você não é superior a ninguém, mas é preciso que leve no coração os sofrimentos de toda criatura.”

Por fim, o papa aconselhou os jovens a cultivar os ideais. “Viva por algo que supere o homem. Se errar, levante-se: nada é mais humano do que cometer erros. O Filho de Deus não veio para os saudáveis, mas para os doentes. Deus é seu amigo. Aprenda com a maravilha, cultive o estupor. Viva, ame, sonhe, acredite. E, com a graça de Deus, jamais se desespere.”

Fonte: Rádio Vaticana
Publicado na revista Mundo e Missão de dezembro/2017 – Ed. 218
Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP