top of page

Coreia do Sul: caminho sinodal será confiado a Nossa Senhora

O Dia de Oração será celebrado em 31 de maio de 2023 em cada diocese, com iniciativas, liturgias e encontros a critério de cada comunidade diocesana. A iniciativa foi tomada em resposta a uma solicitação da Secretaria do Sínodo dos Bispos, que pediu às Igrejas do mundo inteiro que celebrassem um momento de oração em 31 de maio de 2023 - Festa da Visitação de Nossa Senhora -, último dia do mês mariano.


Dia de Oração será celebrado em 31 de maio de 2023 em cada diocese

Todas as comunidades católicas da Coreia do Sul, paróquias, associações e movimentos, se reunirão em uma solene vigília de oração para viver o especial "Dia de Oração a Nossa Senhora", com a intenção de confiar à Mãe de Deus o caminho sinodal e a XVI Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, que vai se realizar em Roma de 4 a 29 de outubro de 2023.

Como anunciado pelos Bispos coreanos, que concluíram sua assembleia esta quinta-feira, 16 de março, o Dia de Oração será celebrado em 31 de maio de 2023 em cada diocese, com iniciativas, liturgias e encontros a critério de cada comunidade diocesana.

Iniciativa responde a solicitação da Secretaria do Sínodo

A iniciativa foi tomada em resposta a uma solicitação da Secretaria do Sínodo dos Bispos, que pediu às Igrejas do mundo inteiro que celebrassem um momento de oração em 31 de maio de 2023 - Festa da Visitação de Nossa Senhora -, último dia do mês mariano.

A Conferência Episcopal da Coreia do Sul também identificou na pessoa do arcebispo de Seul, dom Peter Chung Sun-taek, o representante coreano que participará da 16ª Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos (1ª sessão 4-29 de outubro de 2023, 2ª sessão em outubro de 2024) Rever e atualizar o "Manual Pastoral"

Em sua assembleia, os Bispos sul-coreanos também examinaram as "Diretrizes pastorais para a Igreja católica na Coreia", publicadas pela primeira vez em 1995. Notando as muitas mudanças ocorridas na realidade da Igreja - como as da área de comunicação social -, surgiu a necessidade de rever e atualizar o "Manual Pastoral", que continua sendo um ponto de referência para paróquias, congregações religiosas e movimentos eclesiais em seu serviço pastoral e missão evangelizadora.

O trabalho de atualização realizado por uma comissão especial sublinha a "face sinodal" da Igreja coreana, pronta para caminhar juntos e compartilhar alegrias e sofrimentos com os homens e mulheres do terceiro milênio. Irmãos coreanos do Norte, membros do mesmo povo Nesta perspectiva, os católicos coreanos - bispos, sacerdotes, religiosos e fiéis leigos - participarão em 2023 de duas "experiências de campo" distintas, que se destinam a ser oportunidades de testemunho evangélico e de missão: a primeira iniciativa, promovida pela Comissão Episcopal para o Cuidado da Criação, é a visita, anunciada para 16 de maio de 2023, ao local de Gangwon-do, próximo à cidade de Samcheok, onde nos últimos anos foi iniciada a construção de uma usina elétrica a carvão, com um impacto negativo significativo sobre o meio ambiente circundante e sobre a população de pescadores locais.

Também foi anunciada uma grande peregrinação, organizada pela Comissão Nacional de Reconciliação para 6 de junho, à Igreja católica em Paju, na fronteira com a Coreia do Norte, onde será realizada uma missa solene pela paz e reconciliação. O "caminho comum" para os fiéis coreanos, dizem os bispos, começa por reconhecer e amar como "irmãos e irmãs" os coreanos do Norte, membros do mesmo povo.

Por Vatican News (com Fides)


Comentarios


bottom of page