Igreja celebra dia de São José de Anchieta

No dia 9 de junho, a Igreja faz memória do grande missionário São José de Anchieta, o padroeiro dos catequistas e Apóstolo do Brasil, como ficou conhecido.


Créd. CNBB

São José de Anchieta nasceu em Tenerife, no arquipélago espanhol das Canárias, em 19 de março de 1534. Tendo recebido educação cristã em sua família, foi enviado a estudar em Coimbra, onde dividia o seu tempo entre o estudo e a oração. Sentindo-se chamado por Deus para a vida consagrada e desejando levar a luz do Evangelho aos que não o conheciam, entrou, aos 17 anos, na Companhia de Jesus, sociedade religiosa missionária recém-fundada por Santo Inácio de Loyola.


“Deus o provou com uma grave doença, com fraqueza e dores em todo o corpo, durante dois anos. Os superiores decidiram enviá-lo ao Brasil, na esperança de que o bom clima da terra lhe fizesse bem. Providência divina!’, ponderou dom Fernando Areas Rifan, bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney.

O primeiro catequista do Brasil

Anchieta partiu de Lisboa em 1553, com 19 anos de idade, acompanhando o novo Governador Geral do Brasil, Duarte da Costa, e alguns outros jesuítas.


Viveu no Brasil dos 19 aos 63 anos, idade em que morreu, sendo ao longo desses 43 anos o verdadeiro “Apóstolo do Brasil”, participando da fundação de escolas, igrejas e cidades, liderando a catequese dos índios, aprendendo perfeitamente a língua deles e escrevendo a primeira gramática brasileira em tupi.

“A pé ou de barco, Anchieta viajou pelo Brasil inaugurando missões, catequizando e instruindo os índios e colonos, consolidando assim o cristianismo e o sistema de ensino no país, fundando povoados, sendo o grande promotor da expansão e interiorização do país’, afirmou dom Fernando Areas Rifan.

Faleceu na cidade de Reritiba (atual Anchieta, no Estado do Espírito Santo) em 9 de junho de 1597.


Anchieta ainda tem muito a inspirar os catequistas de hoje?

Em 2013, durante a 51º Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o episcopado brasileiro, por meio de votação, proclamou Anchieta, até então beato à época, como patrono dos catequistas do Brasil. Já em 2014, foi canonizado pelo papa Francisco.


Segundo o padre Jânison de Sá, assessor da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), São José de Anchieta é uma inspiração para todos os educadores na fé, “pois escreveu um catecismo e uma gramática na língua dos indígenas”.


“Ele nos inspira por vários aspectos: o grande ardor missionário para anunciar Jesus Cristo; a preocupação em fazer com que a mensagem do Evangelho chegasse a todas as pessoas; o acompanhamento aos que foram evangelizados e a transmissão da mensagem de forma compreensível aos interlocutores, por isso escreveu um catecismo”, salientou padre Jânison.

O site “Catequese do Brasil“, da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética, publicou artigo sobre São José Anchieta, escrito pelo padre Adroaldo Palaoro, jesuíta e orientador espiritual. Confira (aqui).


Oração à São José de Anchieta

São José de Anchieta,

Apóstolo do Brasil,

Poeta da Virgem Maria,

Intercede por nós hoje e sempre.

Dá-nos a disponibilidade de servir a Jesus

Como tu o serviste nos mais pobres e necessitados.

Protege-nos de todos os males

Do corpo e da alma.

E, se for vontade de Deus,

Alcança-nos a graça que agora te pedimos

(pede-se a graça)


São José de Anchieta, rogai por nós!


Por CNBB