top of page

Nigéria: religiosa cria grupo de ação comunitária para lutar contra o tráfico de pessoas

Desde o início dos Anos 80, o tráfico de seres humanos tem sido uma realidade cruel que, infelizmente, continua presente até os dias de hoje. Respondendo ao apelo dos bispos nigerianos e dos superiores maiores ao povo de Deus, especialmente aos religiosos, para que se unam na luta contra o tráfico de seres humanos, a Ir. Anthonia M. Essien e sua equipe - o Yak Iyamma Team - encarregaram-se de criar programas de sensibilização nas aldeias rurais do Estado de Akwa Ibom, no sul da Nigéria.

A Ir. Anthonia Essien e sua equipa em Akwa Ibom, na Nigéria
A Ir. Anthonia Essien e sua equipa em Akwa Ibom, na Nigéria

A irmã Anthonia M. Essien é membro da Congregação das Servas do Santo Menino Jesus, na Nigéria. É professora de sociologia da religião e atual vice-chanceler da Universidade de Uyo, na Nigéria. Apesar da sua agenda sobrecarregada como professora universitária, a irmã Anthonia respondeu ao flagelo das vítimas do tráfico, aderindo de todo o coração à luta contra o tráfico de seres humanos através de programas de sensibilização e de aquisição de competências. «Fiquei comovida com as histórias das vítimas. Não conseguia dormir. Tinha que fazer alguma coisa por elas», disse a irmã Anthonia.


Vidas de crianças e adolescentes salvas

Desde 2021, a irmã Anthonia tem levado a cabo várias atividades pastorais nas aldeias rurais do Estado de Akwa Ibom, sensibilizando a população para os males do tráfico de seres humanos. Ela trabalha ativamente em colaboração com as agências locais de aplicação da lei para facilitar a detenção de traficantes e garantir que respondam à lei.

Recentemente, os seus esforços levaram ao resgate de várias crianças e adolescentes que tinham sido vendidos a traficantes no país. «Fiquei impressionada ao saber que algumas das crianças tinham sido vendidas por um adulto que conheciam», disse a irmã Anthonia. «A minha primeira reação, quando o pai de duas das crianças me disse que elas tinham desaparecido, foi envolver a polícia e o departamento estatal de combate ao tráfico. A sua resposta imediata levou ao salvamento das crianças».


Grupo de Ação Comunitária

A irmã Anthonia criou o conceito de um Grupo de Ação Comunitária (Yak Iyamma no dialeto da região para mobilizar a comunidade local na prevenção do tráfico de pessoas. Isto implica a formação dos líderes comunitários e dos jovens para que se tornem embaixadores da proteção dos membros da sua comunidade local contra os traficantes, e a capacitação dos jovens para a sua subsistência.


Graças ao apoio das suas religiosas, aos financiamentos de doadores locais e à Fundação Arise do Reino Unido, a irmã Anthonia e a sua equipa têm conseguido chegar a muitas pessoas vulneráveis nas comunidades rurais de Abiaokpo Ikot Abasi Inyang, no Estado de Akwa Ibom. «Todos os dias agradeço a Deus e rezo por quantos apoiam este trabalho, especialmente os nossos benfeitores», realçou a irmã Anthonia.


Campanhas contra o tráfico

Algumas das campanhas contra o tráfico do Yak Iyamma no Estado de Akwa Ibom foram realizadas nos mercados, nas ruas e nas aldeias do interior. A irmã Anthonia e a sua equipa foram ao encontro das pessoas sob o calor abrasador e as fortes chuvas. O seu objetivo era sensibilizar para as recentes atividades dos traficantes que roubam crianças e aliciam adolescentes da comunidade local e para a forma de unir esforços para travar este mal. «Temos de continuar a educar o nosso povo sobre as várias formas como os traficantes de seres humanos os enganam e as nossas vozes têm de ser mais altas, especialmente nos casos em que alguns membros da comunidade se tornaram vítimas», exortou a irmã Anthonia. Por vezes, o Team Yak Iyama teve de caminhar muitas horas para chegar a algumas comunidades locais, mas levou a cabo estas atividades de sensibilização com alegria e satisfação. 


Infelizmente, os traficantes de seres humanos na Nigéria continuam a alvejar as comunidades mais vulneráveis e marginalizadas. No entanto, a irmã Anthonia e a sua equipa, apesar de terem recebido muitas ameaças, não se deixaram intimidar na sua determinação de continuar a sensibilizar as comunidades rurais e a oferecer programas de aquisição de competências para responsabilizar os jovens, na sua luta contra o tráfico de seres humanos e no seu esforço por promover a proteção dos menores e dos mais vulneráveis na sociedade.


Por Irmã Oluwakemi Akinleye - Vatican News

 

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado sobre Mundo, Igreja e Missão, assine a nossa newsletter clicando aqui



Comments


bottom of page