top of page

ONU: ataque à democracia e à Igreja na Nicarágua

Para o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, há uma séria obstrução do espaço democrático na Nicarágua. Preocupação com os ataques contra a Igreja e organizações da sociedade civil. Mensagens de solidariedade chegam de todo o mundo ao bispo de Matagalpa e à Igreja Nicaraguense.


Créd. Vatican Media

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, "está muito preocupado com a grave obstrução do espaço democrático e cívico na Nicarágua e pelas recentes ações contra organizações da sociedade civil, incluindo as da Igreja católica", como a invasão noturna da polícia nacional na sede episcopal de Matagalpa. Foi o que disse o porta-voz Farhan Haq durante uma coletiva de imprensa na ONU. Guterres reitera seu apelo ao governo de Daniel Ortega para garantir "a proteção dos direitos humanos de todos os cidadãos, em particular os direitos universais de reunião pacífica, liberdade de associação, pensamento, consciência e religião" e pede a libertação de todas as pessoas detidas arbitrariamente.


Nesta sexta-feira (19/08), a polícia nacional da Nicarágua realizou um ataque noturno no bispado de Matagalpa, levando à força 9 pessoas, incluindo o bispo Rolando Álvarez, para transferi-las a Manágua: o prelado está agora em prisão domiciliar em sua residência na capital nicaraguense, enquanto as outras 8 pessoas estão num quartel para verificações.


Mensagens de solidariedade ao Bispo de Matagalpa e à Igreja nicaraguense chegam de todo o mundo. A ação também foi condenada pelo secretário da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, que fala das "forças repressivas do regime de Ortega-Murillo" pedindo a libertação imediata do bispo de Matagalpa e de outras pessoas presas, bem como de todos os presos políticos.


A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), organismo autônomo da Organização dos Estados Americanos, condena fortemente "a escalada na repressão contra membros da Igreja católica na Nicarágua e exorta o Estado a cessar imediatamente esses atos" libertando imediatamente o bispo Rolando Álvarez e as outras pessoas detidas. Esses eventos - diz a CIDH - "fazem parte de um contexto sistemático de perseguição, criminalização, moléstias e assédio" contra membros da Igreja católica na Nicarágua, "devido ao seu papel como mediadores no Diálogo Nacional de 2018 e seu papel crítico na denúncia das violações dos direitos humanos que ocorreram no contexto da crise do país". A Comissão pede novamente ao governo nicaraguense que "cesse os ataques contínuos contra a Igreja católica", que liberte "todas as pessoas ainda arbitrariamente privadas de sua liberdade e que cesse imediatamente a repressão no país".


As Igrejas de todos os continentes estão manifestando grande solidariedade à Igreja Nicaraguense nestas horas, convidando os fiéis à oração e a uma proximidade ativa com a comunidade católica deste país da América Central.


Por Vatican News



Comments


bottom of page