Projeto tem feito pessoas do Brasil inteiro trocarem sementes

Conheça como surgiu a história do Sementes pelo Mundo, criado por uma jornalista brasileira na tentativa de incentivar o cultivo de plantas

F
oi de forma despretensiosa que a jornalista Anaísa Catucci criou um projeto de repercussão internacional. Há pouco mais de um ano ela decidiu ter uma horta em sua casa, em Florianópolis (SC). Depois da tarefa concluída, percebeu que sobraram algumas sementes e decidiu compartilhar com seus amigos no Facebook, dizendo que doaria a quem quisesse recebê-las, e ainda enviaria cartinhas como forma de agradecer o compromisso de plantá-las.

Anaísa Catucci, idealizadora do projeto Sementes pelo Mundo

A postagem viralizou na internet e, em menos de 24 horas, mais de duas mil pessoas entraram em contato com Anaísa por se sentirem sensibilizadas com a proposta. Contente, mas ainda surpresa por tanto interesse, a jornalista se viu diante de um desafio: ela tinha apenas algumas sementes para doar e não conseguiria atender tamanha demanda. Então utilizou a mesma rede social para criar um grupo e arrecadar mais sementes. Nele, também pediu ajuda com as cartinhas, que mais tarde foram escritas por centenas de voluntários em mutirões por diversas cidades do país.

Esse foi apenas o início do projeto Sementes Pelo Mundo, que tem provocado muita gente a repensar seu papel perante a natureza. O incentivo ao cultivo de plantas é a principal bandeira da ação. Por isso, vale tudo: sementes de árvores, flores, temperos, hortaliças, entre outras. O projeto envia sementes de diferentes espécies a pessoas de todo o país, junto com uma cartinha com dicas de cultivo. Os interessados só precisam realizar um cadastro (disponível aqui) e aguardar a chegada pelo Correio.

Já para quem deseja ser doador de sementes, a sugestão é participar do grupo criado no Facebook e trocar mensagens com a própria Anaísa ou com os mais de 5,4 mil membros envolvidos.

Rede colaborativa

De acordo com a criadora do projeto, mais do que aproximar as pessoas da natureza, o Sementes pelo Mundo deseja aproximar as pessoas entre si e em torno de uma causa. Por isso mesmo, as cartinhas enviadas com as sementes são um grande diferencial da iniciativa. Manuscritas, coloridas e quase sempre desenhadas, elas fazem com que as pessoas criem elos. A maioria agradece com novas cartinhas e ajuda na divulgação.

“O resgate da humanização é o que tem me motivado. Isso de dedicar um tempo para um desconhecido, sabendo que isso pode transformar a vida dele e de muitas pessoas, é algo que só tende a aumentar meu amor pelo próximo. O projeto me ajuda a ter mais humildade, além de despertar uma grande sintonia com o meio ambiente”,
conta Anaísa.

Aos poucos, todo esse cuidado fez com que o projeto ganhasse uma nova dimensão: “A ideia é que a gente inspire cada vez mais as pessoas a trocarem sementes, a trocarem mensagens, o contato humano, que é o que mais a gente precisa. Temos casos de pessoas que estão superando perdas, depressão e tratamentos de saúde. Além disso, alguns professores também querem criar hortas nas escolas”, afirmou Anaísa em reportagem publicada no portal de notícias G1.

box sementes

Publicado na seção Rastro de Deus da revista Mundo e Missão de agosto de 2018 –  edição nº 223
Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP