Vida no planeta depende da polinização das abelhas

abelha

Polinização exercida pelas abelhas é tão indispensável que, se elas deixarem de existir, a raça humana também pode ser extinta por falta de alimentos

 

J
á parou para pensar que vários vegetais e frutas que consumimos hoje só existem por causa da polinização? É através dela que as flores são fecundadas, iniciando o desenvolvimento de sementes e frutos. Pode ser feita pela água, pelo vento e por muitos animais, como borboletas e beija-flores. O inseto mais famoso pela capacidade de polinização – e é de fato o mais eficiente – é a abelha, pois é mais rápida, consegue voar em zigue-zague e, após um tempo com a colônia instalada em certo local, consegue saber qual o melhor horário para coletar e depositar o pólen (elas observam a flora próxima à colmeia e associam com a intensidade da luz do dia).

As abelhas são pequenas, mas de uma importância gigante para toda a vida na Terra. Sem elas, não perderíamos só o mel e os produtos agrícolas. A criação de gado para consumo sofreria grandes perdas, já que esses animais são herbívoros. A vida selvagem também sofreria: a vegetação seria drasticamente reduzida e, com ela, a vida em geral. A abobrinha, a melancia e o maracujá só estão em nossas mesas graças às abelhas. Esses insetos são os principais responsáveis por vários alimentos. Sem o trabalho das abelhas muitos não existiriam ou seriam bem diferentes.

Um estudo feito por um grupo internacional de pesquisadores, entre eles a bióloga Vera Lúcia Imperatriz Fonseca, do Departamento de Ecologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), apontou que cerca de 20 mil espécies de abelhas conhecidas polinizam mais de 90% das 107 principais culturas do mundo. Não por acaso, 75% da alimentação humana dependem direta ou indiretamente da ação de polinizadores.

O declínio de algumas espécies de abelhas está associado ao processo de industrialização, sobretudo na Europa e na América do Norte, segundo os pesquisadores.

O professor Simon Potts, da Universidade de Reading, no Reino Unido, que participou de outro estudo sobre o tema, produzido pela Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Serviços de Biodiversidade e Ecossistemas (IPBES), relata que “ os polinizadores estão enfrentando muitos desafios, da agricultura intensiva e pesticidas às mudanças climáticas, que estão colocando muita pressão sobre eles”.

No Brasil, as abelhas respondem, em média, por até 24% do ganho em produtividade agrícola em pequenas propriedades rurais. No país existem mais de 300 espécies de abelhas nativas. O agrônomo e doutor em Gestão de Recursos Naturais pela Colorado State University, Carlos Hugo Rocha, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, em entrevista à EcoDebate, disse que “a destruição de habitats, associada ao uso indiscriminado dos agrotóxicos, contribui para o desaparecimento de algumas espécies, principalmente as de biomas com forte degradação, como a Mata Atlântica”.

SAIBA MAIS

A animação a seguir explica de maneira lúdica como as abelhas são importantes para a vida no planeta:

APP MONITORA AS ABELHAS

O biólogo Lionel Segui Gonçalves, pesquisador da USP de Ribeirão Preto, e seu filho, Daniel Malusá Gonçalves, criaram o aplicativo Bee Alert para monitorar o desaparecimento de colônias de abelhas. O app funciona de maneira simples: o produtor ou pesquisador registra o local do seu apiário e, depois, relata a intensidade do desaparecimento das abelhas, as possíveis causas e os prejuízos. “Acreditamos que o aplicativo poderá ser usado em outros países, pois enfrentamos problemas e desafios similares quando o assunto é a proteção das abelhas”, afirma Daniel. O aplicativo é a primeira plataforma on-line para este tipo de registro e pode ser baixado gratuitamente na Apple Store ou Google Play.

Telefone: (11) 5549-7295
Fax: (11) 5549-7257
Rua Joaquim Távora, 686
04015-011 Vila Mariana, São Paulo - SP