top of page

Ao rezar pelas vítimas do terremoto, o encorajamento do Papa à solidariedade

Já são mais de 16 mil os mortos em decorrência no terremoto na Turquia e na Síria na noite entre domingo e segunda-feira. Os feridos são ao menos 62.914 e centenas ainda estão sob os escombros à espera de ajuda.


Foto: Reuters/Suhaib Salem

Na segunda-feira, o Papa já havia enviado telegramas aos núncios na Síria e na Turquia - cardeal Mario Zenari e o bispo Marek Solczyński, respectivamente -, nos quais havia assegurado sua oração e proximidade às vítimas do devastador terremoto. Na Audiência Geral desta quarta-feira, o agradecimento de Francisco aos que levam ajudas e às populações e o encorajamento à solidariedade:

Neste momento, o meu pensamento dirige-se às populações da Turquia e da Síria, duramente atingidas pelo terramoto que provocou milhares de mortos e feridos. Rezo com comoção por eles e exprimo a minha proximidade a estes povos, aos familiares das vítimas e a todos os que sofrem devido a esta devastadora calamidade. Agradeço àqueles que estão se empenhando em levar socorro e encorajo todos à solidariedade com esses territórios, em parte já martirizados por uma longa guerra. Rezemos juntos para que estes nossos irmãos e irmãs possam seguir em frente diante desta tragédia, e peçamos a Nossa Senhora que os proteja: Ave Maria...

O número de mortos no terremoto que atingiu a Turquia e a Síria na noite entre domingo e segunda-feira ultrapassa os 16 mil; são 14.014 na Turquia e 2.902 na Síria. Os feridos são quase 63 mil e centenas ainda estão sob os escombros à espera de ajuda. 6.500 prédios e casas desabaram.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, informou na tarde desta quarta-feira, que um total de 60.000 equipes de resgate estão envolvidos em operações de busca, resgate e assistência às vítimas do terremoto. "Entre proteção civil, exército, organizações não governamentais, equipas vindas do estrangeiro e voluntários, neste momento existem 60.000 socorristas no terreno", declarou o presidente turco que hoje chegou à zona atingida há dois dias pelo terrível sismo.

As autoridades turcas confirmam que cerca de 13,5 milhões de pessoas foram afetadas diretamente pelo terremoto e que o impacto foi sentido em uma área que se estende por cerca de 450 quilômetros de Adana, no oeste, a Diyarbakir, no leste, e 300 quilômetros de Malatya, no norte, até Hatay, no sul. As autoridades sírias relataram mortes até Hama, a cerca de 100 km do epicentro do terremoto.

O terremoto que atingiu o sudeste da Turquia e o norte da Síria em 6 de fevereiro foi muito forte. Para se ter uma ideia: a terra tremeu mil vezes mais forte, por exemplo, que em Amatrice, na Itália, em 2016. A energia liberada foi igual a 32 explosões atômicas, a terra se moveu vários metros em poucos segundos ao longo de uma linha de 150 quilômetros e a onda de choque derrubou milhares de prédios.


Especialistas suíços e equipes de resgate com cães de serviço se preparam antes de voar para a Turquia atingida pelo terremoto, no Aeroporto de Zurique, em Zurique, Suíça, 06 de fevereiro de 2023. EPA/MICHAEL BUHOLZER

As pessoas retiradas com vida dos escombros

E na corrida contra o tempo para resgatar com vida as pessoas soterradas por escombros, são testemunhados verdadeiros milagres, que provocam uma mistura de alívio e alegria, e arrancam aplausos entre os socorristas, como foi o caso da menina recém-nascida encontrada viva com o cordão umbilical ainda preso à mãe, que acabou morrendo sob os escombros em Jandairis, na Síria, ou aquela mãe e suas duas filhas que foram retiradas com vida dos escombros após 33 horas em Hatay, um dos locais mais áreas afetadas da Turquia.

Uma bebê de 18 meses foi retirada com vida dos escombros mais de 56 horas após o terremoto na província de Kahramanmaras, no sul da Turquia. A informação foi divulgada pelo site turco Anadolu. Ela foi encontrada com a mãe. A pequena Masal, esse é o nome dela, sobreviveu graças a sua mãe que a amamentou.

Um pai, seu filho e filha foram retirados com vida dos escombros de um prédio que desabou devido ao terremoto extremamente violento de segunda-feira na vila síria de Bisnia, relata o Guardian.


Solidariedade internacional

A catástrofe desencadeou uma onda de solidariedade e uma mobilização geral, que conta com o envolvimento de engenheiros, soldados, bombeiros, médicos e paramédicos e até cães treinados em resgate e busca. Pessoal e equipamentos chegam de todo o mundo para os primeiros socorros às populações afetadas na Turquia e na Síria. Uma corrida contra o tempo, enquanto as réplicas, várias centenas desde segunda-feira, se sucedem no inverno rigoroso da área afetada. Cada minuto pode ser vital para poder resgatar os cidadãos presos nos escombros.

Aqui, um pequeno panorama das iniciativas implementadas para enfrentar a emergência:

- As Nações Unidas, disse o secretário-geral António Guterres, enviaram "equipes ao terreno para avaliar as necessidades e prestar assistência". Enquanto o Crescente Vermelho Palestino está realizando operações de resgate e socorro em campos de refugiados palestinos e áreas vizinhas na Síria.

- A União Europeia enviou equipes de busca e salvamento, ativando o sistema de satélite Copernicus para fornecer serviços de mapeamento de emergência. "Até agora - twittou o comissário europeu de emergências Janez Lenarcic - mobilizamos 27 equipes de busca e salvamento e médicas de 19 Estados europeus por meio do "Mecanismo de Proteção Civil da UE" para ajudar a Turquia após o terremoto, juntamente com mais de 1.150 socorristas e 70 cães de resgate". Na Síria, acrescentou Lenarcic, a UE está trabalhando "em estreito contato com nossos parceiros humanitários que também estão envolvidos em operações de resgate". As áreas de chegada das equipes são as mais afetadas: 11 já chegaram ao destino.

- A Itália ofereceu assistência através da Proteção Civil e do Corpo de Bombeiros. Na noite de segunda-feira, o primeiro C130 da Força Aérea decolou com material e pessoal a bordo para prestar socorro à população, chegando a Adana por volta das 6 da manhã. A bordo estavam 50 bombeiros das equipes USAR da Toscana e Lazio. Pessoal especializado na busca de pessoas desaparecidas sob os escombros, que trabalhou em emergências semelhantes na Itália e no exterior. No grupo, também, 11 agentes de saúde e 6 unidades da Proteção Civil.


- A Alemanha está enviando geradores de emergência, tendas, cobertores e água. O país também ofereceu a contribuição da Proteção Civil. Médicos e especialistas foram enviados para chegar ao cerne da catástrofe. A Ministra dos Assuntos Estrangeiros, Annalena Baerbock, acrescentou ainda que os alemães vão fornecer um subsídio econômico de cerca de um milhão de euros, aproveitando a necessidade de entrar na Síria para prestar a ajuda necessária: "Todos os acores internacionais, incluindo a Rússia, são chamados a pressionar o regime sírio para permitir ajuda humanitária às vítimas do terremoto".

- A Espanha se ofereceu para enviar dois contingentes de busca e salvamento, juntamente com uma equipe de bombeiros voluntários. As autoridades turcas aceitaram a ajuda na manhã de terça-feira: Madri envia, portanto, a equipe Starts com hospital de campanha, que tem bloco operatório e capacidade de internação para 20 pessoas, e contribuirá para o apelo de emergência lançado pela Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho Movimento e apoiará as ativações de emergência de ONGs humanitárias espanholas que têm acordos com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid).

- A vizinha (e histórica rival da Turquia) Grécia enviou uma equipe de 21 pessoas, incluindo especialistas em sismologia. As equipes de resgate chegaram recentemente com uma aeronave militar C-130 na região sul de Hatay, com cães farejadores, médicos, enfermeiras e um veículo especial de combate a incêndios.

- A França já enviou unidades de resgate para a Turquia.

- A Áustria enviou 84 soldados da Unidade de Desastres Naturais.

- A Suíça ofereceu sua contribuição com a equipe especial REDOG: 22 socorristas com 14 cães já estão na Turquia. Outras 80 pessoas, incluindo especialistas em desastres naturais, serão enviadas para a área.

- Os Estados Unidos, graças à operação de coordenação do Pentágono e da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, estão realizando uma missão de assistência à Turquia. Em Los Angeles, na Califórnia, pelo menos 100 pessoas, entre bombeiros e engenheiros, munidos de cães treinados, foram enviadas para a área. O presidente, Joe Biden disse em um tweet que instruiu sua equipe para monitorar de perto e continuamente a situação em coordenação com a Turquia e fornecer toda a assistência necessária.


Equipes de resgate do International Search and Rescue (ISAR) Alemanha chegam a Gaziantep para ajudar a encontrar sobreviventes do terremoto mortal na Turquia, no aeroporto de Gaziantep, Turquia, 7 de fevereiro de 2023. REUTERS/Piroschka van de Wouw

- O Reino Unido destacou 76 especialistas em busca e salvamento e uma equipe médica totalmente equipada.

- Uma equipe da Rússia, do Ministério de Situações de Emergência, está agora na Síria. As forças militares russas enviaram dez unidades com o objetivo de prestar assistência humanitária e também se ofereceram para intervir na Turquia.

- O exército israelense está enviando uma equipe de resgate e busca de 150 engenheiros, médicos e pessoal médico. Os dois países estão, assim, consertando as lágrimas causadas por anos de tensão. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que também aprovou o pedido de ajuda humanitária da Síria.

- A Coreia do Sul ofereceu US$ 5 milhões em ajuda humanitária à Turquia e cerca de 110 socorristas e militares para apoiar seu trabalho de busca e resgate.

- O Paquistão já enviou a sua equipa especial e uma carga de mantimentos, afirmando ainda que voos diários de ajuda à Síria e à Turquia.

- O Catar enviará 120 socorristas à Turquia, além de um hospital de campanha. Em vez disso, os Emirados Árabes Unidos prometeram assistência à Síria no valor de cerca de US$ 13,6 milhões. Foto

- A Índia está enviando duas equipes de 100 pessoas com equipes e equipamentos para cães, além de médicos e paramédicos com medicamentos

- O Japão enviou a Equipe de Resgate de Desastres do Japão para a Turquia.

Também comunidades turcas e sírias no exterior se mobilizaram para realizar coleta de fundos e de materiais a serem enviados às vítimas dos países atingidos.



Por Jackson Erpen - Cidade do Vaticano


Commentaires


bottom of page