top of page

Caritas Líbano: risco de uma crise humanitária em meio a um conflito regional

O presidente do órgão caritativo da Igreja, padre Michel Abboud, expressa sua preocupação com a escalada da guerra no Oriente Médio: espera-se um cenário de deslocamento em massa, assistência médica de emergência, alimentar e de abrigos

Alarme da Caritas Líbano: risco de uma crise humanitária em meio a um conflito regional - Foto: Vatican Media

Um apelo por assistência urgente e um alerta sobre uma possível crise humanitária devido à escalada do conflito em curso no Oriente Médio. Em uma comovente carta aberta, o presidente da Caritas Líbano, padre Michel Abboud, expressa profunda preocupação com as tensões regionais e pede aos parceiros e apoiadores que monitorem os acontecimentos. O conflito entre Israel e Palestina pode ter "sérias repercussões" no Líbano, particularmente nas regiões do sul, onde as tensões estão aumentando em um ritmo alarmante. Os moradores da fronteira começaram a fugir de suas casas, buscando segurança à medida que os bombardeios e a insegurança se aproximam. Mais de 29 mil pessoas foram deslocadas internamente no Líbano desde o início de outubro, de acordo com a última declaração da agência de migração da ONU na sexta-feira, 27 de outubro.

Tensões crescentes

A guerra em curso acarreta "sérios riscos para a situação em nosso país, como vimos na história do Líbano durante conflitos anteriores, especialmente considerando as crescentes tensões atuais na fronteira no sul do Líbano", enfatizou o padre Abboud. Ele relata o testemunho de Gabi Hage, pai de três filhos, que conta à Caritas sobre seu drama pessoal: "Nossa casa fica bem perto da fronteira, portanto estamos saindo e indo para a aldeia. Todos os meus vizinhos estão fazendo o mesmo".

Assistência humanitária imediata

Na carta, Abboud enfatiza a necessidade de "estar pronto" e a urgência de fornecer assistência humanitária imediata, "incluindo assistência para abrigo, apoio social, alimentação e cuidados médicos". A gravidade da situação também é confirmada pelos relatórios da Organização das Nações Unidas (ONU), com os escritórios de Operações de Emergência e Assuntos Humanitários dizendo que estão preparados para "um cenário de deslocamento em massa".

O presidente da Caritas Líbano reconhece os limites e o alcance da crise iminente: "Todavia, nossos recursos são limitados e as necessidades podem ser enormes", afirma ele. Em seguida, ele lança um premente apelo por apoio, ao mesmo tempo em que reconhece os esforços coletivos nesses tempos difíceis.

A possibilidade de expansão do conflito

Já em outro discurso, durante uma reunião das "Organizações Membros Internacionais da Caritas", o padre Michel Abboud havia apelado por apoio e recursos a fim de se preparar para a crescente crise no Oriente Médio e reiterou a necessidade de estar preparados para a possibilidade de uma expansão do conflito no Líbano. O clérigo também assegurou o compromisso contínuo da Caritas Líbano: "A situação atual - disse ele - é diferente da que existia em 2006. Atualmente, as pessoas no Líbano estão enfrentando uma crise econômica, onde muitas famílias não podem receber seus parentes e, se o fizerem, enfrentarão dificuldades financeiras".

Preparação e trabalho

O convite do padre Abboud é para que todos sejam solidários com a Caritas Líbano: "Sabemos que não estamos sozinhos, a Igreja, por meio de todas as Caritas do mundo, por meio de vocês, estará conosco. Esperamos que não precisemos usar nada do que preparamos e que a guerra termine e a paz reine no mundo inteiro, mas sabemos muito bem que nossos desejos nem sempre se realizam, portanto, vamos nos preparar e trabalhar".


Por Vatican News


Comments


bottom of page