CCM concluiu curso de formação cultural para missionários estrangeiros

Foi concluída, na última quinta-feira, 30, a 122ª turma do Cenfi, o Curso de Formação Intercultural para missionários estrangeiros que chegam para atuar no Brasil. Uma celebração eucarística presidida pelo secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Joel Portella Amado, marcou o encerramento de um período de três meses de contato com a língua e a cultura do país. O curso é oferecido pelo Centro Cultural Missionário (CCM), organismo da CNBB sediado em Brasília.


Fotos: divulgação CCM

Em sua homilia, dom Joel destacou a diversidade missionária encontrada na Igreja e que se expressa na diversidade étnica e cultural presente no curso. Foram padres, religiosos e religiosas de 16 países diferentes. No início, eram 22 missionários, mas alguns tiveram que retornar para seus países por questões pessoais ou burocráticas.


A diversidade missionária e a diversidade étnica e cultural impulsionam, segundo dom Joel, “a viver a missão tão diversificada, como diversificado é o amor de Deus que vai a cada um, a cada uma conforme as suas necessidades”. Mesmo assim, o bispo salientou que algumas características dessa missão “precisam estar sempre presentes, não importa onde você estiver”. A partir da liturgia do dia, na qual o Evangelho trazia a cura do paralítico, dom Joel Amado destacou duas condições que devem ser cumpridas na missão: estar comprometidos com a vida e ter presente a coragem.


Agradecimentos

O diretor do CCM, padre Djalma Antonio da Silva, escreveu uma mensagem de gratidão ao término do curso, na qual recordou a retomada da oferta da formação após dois anos sem ser realizado, por causa da pandemia. O retorno exigiu adaptações na estrutura e período de isolamento para os participantes que testaram positivo em algum momento.


“Tudo ocorreu melhor do que nós pensávamos. Por isso a minha palavra é de gratidão. Primeiramente gratidão a Deus, porque é ele quem nos conduziu até aqui. Gratidão a Deus por cada missionário e missionária que passaram por esta casa neste curso de número 122”, disse

Entre os diversos agradecimentos, o padre citou as paroquias do Divino Espirito Santo e Nossa Senhora do Rosário, da Vila Planalto (DF), e São João Batista, do Gama (DF), que acolheram os missionários para a etapa de experiência comunitária.


Um dos participantes manifestou seu agradecimento a Deus e aos colegas pelo tempo que passaram juntos: “estudamos, rimos, compartilhamos e rezamos juntos”, disse Cruz Enrique Colunga, seminarista mexicano da Congregação do Verbo Divino.


“Esta foi e será uma experiência única que não se pode esquecer. Muitas das vezes pode ser difícil estar na missão num país novo, cultura nova e pessoas novas, mas na vida nós podemos encontrar boas pessoas que podem nos ajudar para que nossa caminhada seja mais fácil. É bom conhecer outras pessoas e saber que em nosso caminho, em nossa vocação não estamos sozinhos. Temos que estar abertos e deixar entrar outras pessoas em nossa vida e também dá-nos para os demais”, partilhou.

O CENFI

O Centro de Formação Intercultural é um dos três departamentos do CCM e se dedica especificamente à formação cultural e eclesial das missionárias e dos missionários estrangeiros que chegam ao Brasil, através da aprendizagem da língua portuguesa, da introdução sobre elementos das culturas brasileiras e da iniciação à atuação missionária no País.


Por CCM