top of page

Chile. "Espacio Misericordia": jovens voluntários acolhem os sem-teto

A iniciativa funcionará durante os meses de julho, agosto e setembro. As pessoas que servem no "Espacio Misericordia" são voluntários, principalmente jovens e todos aqueles que oferecem sua colaboração. Trata-se de "jovens que ouviram o chamado do Papa para fazer mais do que falar, e isso envolve muito trabalho, porque é preciso estar pronto para receber, cuidar da comida, arrumar as mesas, organizar", afirma o arcebispo dom Fernando Chomalì


Foto: Reprodução da internet

"O que podemos fazer para recuperar o espaço que tínhamos para acolher os sem-teto nas ruas?" Em resposta a essa pergunta de Gabriela Gutiérrez, delegada episcopal para a Pastoral Social da Arquidiocese de Concepción, no Chile, nasceu a iniciativa Espacio Misericordia, fortemente desejada pelo arcebispo Fernando Chomalì.

Desenvolvida em conjunto com as diferentes áreas paroquiais e vicariatos da região, "pretende ser um espaço de acolhimento onde se possa oferecer uma refeição e intensificar o vínculo com os irmãos que se encontram em situações difíceis, um espaço que lhes ofereça apoio sincero".

Jovens voluntários que ouviram o chamado do Papa

A iniciativa que é a continuação de uma anterior, conhecida como Bus Albergue Móvil La Misericordia, interrompida devido à pandemia da Covid, foi inaugurada pelo arcebispo Chomalì e funcionará durante os meses de julho, agosto e setembro. As pessoas que servem no Espacio Misericordia são voluntários, principalmente jovens e todos aqueles que oferecem sua colaboração.

"É um dos muitos programas sociais que a Igreja oferece, mas este tem a característica de envolver especialmente jovens voluntários", disse dom Chomalì. "Jovens que ouviram o chamado do Papa para fazer mais do que falar, e isso envolve muito trabalho, porque é preciso estar pronto para receber, cuidar da comida, arrumar as mesas, organizar!"

Muitos sem-teto buscam retomar suas vidas

"Embora muitos estejam em situações difíceis há anos - observou a delegada -, há também outros que estão tentando sair delas, entrar em contato com suas famílias, retomar suas vidas, e é por isso que o Vicariato da Pastoral Social promove esses projetos e coloca seus colaboradores à disposição".

"O momento do encontro deste 3 de julho, quando inauguramos a iniciativa, foi muito emocionante porque revivemos as emoções do Bus Albergue - concluiu o arcebispo Chomalì -, mas ao mesmo tempo foi triste perceber que, três anos depois do fechamento, você encontra novamente as mesmas pessoas, que têm os mesmos problemas e que nada mudou para elas".

(com Fides)

Comments


bottom of page