top of page

Nota de Solidariedade pelos ataques ao povo de Cabo Delgado, em Moçambique

Na manhã de sexta-feira, 1º de março, a direção nacional das Pontifícias Obras Missionárias do Brasil publicou Nota de Solidariedade à população e aos missionários e missionárias da província de Cabo Delgado, situada na região norte de Moçambique. Missionários, padres e religiosas da região estão sendo obrigados a deixar suas casas, buscando refúgio em Pemba e outras grandes cidades, já sobrecarregadas com pessoas deslocadas.


Informações fornecidas à Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) por missionários do local, revelam uma escalada nos ataques por insurgentes armados na província de Cabo Delgado. Os grupos insurgentes islâmicos intensificaram suas atividades na região, criando um cenário de medo e insegurança. Desde o início de 2024, segundo a ACN, houve um aumento nos ataques, com diversas investidas a cidades e vilarejos, resultando em mortes e sequestros. Em 9 de fevereiro, terroristas atacaram três comunidades na área de Mazeze, ao sul de Pemba. Incendiaram igrejas e casas, forçando centenas de pessoas a fugir para encontrar abrigo em Pemba ou Chiúre.

De acordo com informações da ACN, esses ataques não poupam comunidades cristãs nem mesquitas, refletindo uma violência indiscriminada contra a população local. A crise já causou milhares de mortes e deslocou mais de um milhão de pessoas, mas estes números, infelizmente, podem estar defasados.


Nota de Solidariedade: A paz como caminho de esperança

É com profundo pesar e solidariedade que dirigimos esta nota às comunidades de missionários e missionárias que têm enfrentado situações de perseguição na província de Cabo Delgado, em Moçambique. Estamos em comunhão com seu povo e convidamos a todos para rezar por essa realidade de sofrimento e ajuda humanitária em meio a um cenário complexo em que comunidades estão sendo destruídas.

Neste momento desafiador, as Pontifícias Obras Missionárias quer estender a mão como compromisso em apoiar e difundir a mensagem de solidariedade, esperança e paz. Queremos construir um mundo onde a diversidade de crenças seja respeitada e onde todos possam exercer seu direito à liberdade religiosa sem temer retaliações.


Ir. Regina da Costa Pedro

Diretora das POM Brasil


 

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado sobre Mundo, Igreja e Missão, assine a nossa newsletter clicando aqui



Comments


bottom of page