top of page

O Papa: há muito a ser feito para que seja reconhecida a igual dignidade das mulheres

Após a oração mariana do Angelus, este IV Domingo da Quaresma, o Pontífice lembrou o Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8, para ressaltar sua proximidade a todas as mulheres, especialmente àquelas cuja dignidade não é respeitada.



Nas saudações aos diversos grupos de fiéis e peregrinos presentes na Praça São Pedro para rezar o Angelus com o Santo Padre, Francisco - após a oração mariana este IV Domingo da Quaresma - lembrou o Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8, para ressaltar sua proximidade a todas as mulheres, especialmente àquelas cuja dignidade não é respeitada.


Ainda há muito trabalho a ser feito por cada um de nós para que a igual dignidade das mulheres seja concretamente reconhecida. São as instituições, sociais e políticas, que têm o dever fundamental de proteger e promover a dignidade de todo ser humano, oferecendo às mulheres, portadoras da vida, as condições necessárias para que possam acolher o dom da vida e assegurar a seus filhos uma existência digna.


A paz nasce das mulheres

Em publicação em sua conta no X, antigo Twitter, feita no dia 8 de março, Francisco escreveu sobre as mulheres:                                                                  

“As mulheres tornam o mundo mais bonito, protegem-no e mantêm-no vivo. Trazem consigo a graça da renovação, o abraço da inclusão e a coragem de doar-se. A paz, então, nasce das mulheres, surge e reacende-se a partir da ternura das mães.”

Por Vatican News

 

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado sobre Mundo, Igreja e Missão, assine a nossa newsletter clicando aqui



コメント


bottom of page