top of page

PIME: Pe. Paolo de Coppi, e o seu legado missionário

Fundador do Jornal Missão Jovem, pe. Paulo de Coppi, retorna à Itália depois de anos dedicado ao trabalho de animação missionária e aos jovens.


No último dia 18 de setembro de 2022, Pe. Paulo de Coppi, missionário do PIME, despediu-se do Brasil e retornou a Itália, a sua terra natal.


Ele trabalhou no Amapá e na Itália, em 1985 foi chamado a coordenar a Pastoral Missionária na Arquidiocese de Florianópolis. Ali permaneceu por quase 30 anos em missão, com dedicação total no trabalho de animação missionária.


Pe. Paulo foi o motivador que iniciou as Santas Missões Populares na Diocese da Barra, no ano 2000 e que até hoje a Arquidiocese participa das missões no sertão baiano.


Missão para Leigos na Bahia

Esta experiência começou através da presença do Pontifício Instituto Missionário (PIME) na arquidiocese, na pessoa do Pe. Paulo que foi o grande propulsor na animação missionária na Arquidiocese. É dele esta iniciativa, quando nas férias no início de 1999 Pe. Paulo procurou o Pe. Jacob Archer, para ver a possibilidade de levar um grupo de leigos para fazer Missões em sua paróquia, Pe.Jacob estava desde 1998 como pároco na Catedral da Diocese da Barra, no sertão baiano. A resposta de Pe. Jacob foi que precisaria conversar com Dom Luis Cappio o bispo diocesano e com a equipe da paróquia da Barra. E se desse certo, já poderia ser no ano seguinte, isto é, em 2000. Após a conversa com Bispo e a equipe, todos concordaram para que acontecesse as Santas Missões Populares .


Ao receber a resposta positiva, logo o Pe. Paulo De Coppi começou a preparar na Arquidiocese um grupo de pessoas para participar desta missão, e este grupo contemplou: leigos e leigas, seminaristas, sacerdotes, religiosas, diáconos, no dia 17 de julho de 2000 partiram a caminho da Diocese da Barra no sertão da Bahia.



Jornal Missão Jovem

O Missão Jovem nasceu em Florianópolis (SC) no mês de Agosto de 1986. Embora com breve existência, o Jornal esteve presente no Brasil inteiro e em mais 50 países. Mas, o que foi que motivou o surgimento do Jornal? Quem o idealizou foi o Pe. Paulo depois de visitar dezenas de Paróquias, grupos de jovens e muitas escolas da cidade e do interior, começou a se questionar sobre a validade desse corre corre que, embora feito com muito entusiasmo, deixava-lhe a clara impressão de estar realizando um trabalho sem continuidade. Diante disso, buscou outras formas de se comunicar com as comunidades e, em particular, com os jovens. Por isso, lançou o jornal. A partir de 2012, a sede do jornal veio para São Paulo - SP, e em 2020 teve suas últimas edições impressas.


Confira a mensagem de carinho da Arquidiocese de Florianópolis - Santa Catarina:

Pe. Paulo com pe. João (Pime) e algumas pessoas da Arquidiocese de Florianópolis.

Pe. Paulo também teve um papel fundamental no início da Infância e Adolescência missionário na aqui em Florianópolis, fundou os jornais Missão Jovem e O Transcendente, que eram distribuídos por todo o Brasil.

"Agradecemos a Deus por seu Sim e por sua missão em terras brasileiras. Aprendemos a valorizar o óbvio e a enxergar detalhes que fazem a vida ser mais graciosa através do seu jeito sábio, alegre e gentil que conquistou e cativou todos nós. Que o senhor continue levando ânimo, paz, amor e as boas novas por onde quer que ande"!

Saiba mais sobre a vida missionária do pe. Paulo:

Pe. Paulo, deixa um legado de amor e testemunho de vida doada a missão, principalmente aos jovens. Com um carisma ímpar, ele ajudou a formar muitas gerações nas paróquias de todo o Brasil. Seus "subsídios" (através do Missão Jovem e O Transcendente) chegaram a lugares distantes e por muito tempo foi o único material formativo na comunidade.


Um imenso OBRIGADA ao pe. Paulo por ser um exemplo e missionário dedicado!


Por redação Mundo e Missão, com informações da Arquidiocese de Florianópolis e Arquivo PIME.



Comments


bottom of page